Vacinação contra febre aftosa

Forma de Atendimento:

Parcialmente na Web

Quanto custa:

Valores variáveis

O que é

A febre aftosa, doença infecciosa aguda causada por vírus, é uma das mais contagiosas a atingir bovinos, búfalos, ovinos, caprinos e suínos. Causa febre, seguida do aparecimento de vesículas (aftas), principalmente na boca e nos cascos, dificultando a movimentação e alimentação dos animais, o que acarreta elevada e rápida perda de peso e queda na produção de leite.

O Paraná é Área Livre de Febre Aftosa com Vacinação, reconhecida pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE). A vacinação tem papel fundamental para prevenir e erradicar a doença. O Estado adota a estratégia de vacinação semestral (maio e novembro) de animais com até 24 meses de idade, e a vacinação anual (novembro) para animais com mais de 24 meses.

Como combater

1 - A vacinação e sua comprovação são obrigatórias. A comprovação deve ser feita nas Unidades Locais de Sanidade Agropecuária da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) ou através do site.

2 - Na etapa de novembro é obrigatório vacinar todos os bovinos e búfalos, inclusive os bezerros com poucos dias de vida.

3 - O produtor deve adquirir a vacina nas casas agropecuárias, obtendo a nota fiscal, o comprovante de vacinação e a atualização cadastral.

4 - A dose de vacina é de 5 ml para todos os animais, independentemente do peso e do tamanho. Só devem ser vacinados bovinos e búfalos.

5 - Preencha o comprovante de vacinação e atualização cadastral, relacionando corretamente a quantidade de animais existentes e de animais vacinados, por sexo e por idade. A quantidade de animais relacionada no comprovante será cadastrada na Adapar e, portanto, deve ser exatamente igual à existente na propriedade.

6 - Para fazer a comprovação da vacinação nas Unidades Locais de Sanidade Agropecuária, o produtor deve levar as duas vias do comprovante de vacinação e atualização cadastral, e ainda a nota fiscal da compra da vacina.

7 - O produtor também pode realizar a comprovação da vacinação pela internet, no site da Adapar. Nesse caso, será feita em duas etapas: 1°) cadastro da venda da vacina pelo revendedor; 2°) comprovação pelo produtor. O produtor somente conseguirá efetuar a comprovação após o revendedor também ter cadastrado a venda da vacina.

8 - Se mais de um produtor fizer a vacinação em conjunto, deve ser preenchido um comprovante para cada produtor.

9 - Se o produtor tiver mais de uma propriedade, deve preencher um comprovante para cada uma.

10 - Se na mesma propriedade houver criação de bovinos e búfalos, é preciso preencher um comprovante para cada espécie de animal.

11 - Mesmo que o produtor não mantenha em sua propriedade bovinos e búfalos menores que 24 meses (com vacinação obrigatória), deverá entregar o comprovante nas Unidades Locais para efeito de atualização cadastral na Adapar, relacionando os bovinos e búfalos acima de 24 meses de idade e as demais espécies animais.

12 - Se o produtor tiver qualquer dúvida, deve procurar esclarecimento nas Unidades Locais de sua região.

Prazo

As campanhas de vacinação ocorrem anualmente, duas vezes - em maio e em novembro.

Na etapa de maio é obrigatória a vacinação dos bovinos e búfalos com idades até 24 meses.

Na etapa de novembro, todos os bovinos e búfalos devem ser vacinados.

A comprovação deve ser realizada até o dia 30 de novembro, nas Unidades Locais de Sanidade Agropecuária, ou pela internet, no site da Adapar.

O que diz a Lei

A aquisição e aplicação da vacina contra a febre aftosa é de responsabilidade dos proprietários dos animais. A vacinação e a comprovação são obrigatórias, estando previstas em legislação estadual. 

A não vacinação ou não comprovação implica multa mínima de 10 UPF (Unidade Padrão Fiscal do Paraná), podendo ser maior para rebanhos com mais de 10 cabeças, além de ser proibido o transporte do rebanho não vacinado para qualquer finalidade.

No site da Adapar você encontra a legislação mais requerida pelos usuários. Ao acessar o link, utilize os menus da lateral direita e os “Links para outros sites de legislação” para navegar pelas normatizações específicas da defesa agropecuária.